O impacto total na economia nacional da implementação de 13 medidas do SIMPLEX+ 2016 foi superior a mil milhões de euros, tendo 624 milhões sido poupança das empresas.

Estes valores foram apurados pela Universidade Nova de Lisboa, através de um modelo de avaliação que combinou análise de dados com entrevistas a empresários.

De acordo com este estudo, a medida que mais beneficiou as empresas foi a Declaração de Remunerações para a Segurança Social Interactiva, que permitiu uma poupança em custos administrativos estimada em 259 milhões de euros.

Em 2º lugar na lista vem a medida Inventário Permanente + Simples que terá feito com que os empresários gastassem menos 198 milhões anuais.  Já a Certificação de Atributos Empresariais no Cartão de Cidadão garantiu poupanças às unidades empresariais na ordem dos 73 milhões de euros.

Destaque, ainda, para a medida IES+ Simplificação que possibilitou às empresas poupanças anuais de 57 milhões de euros.

Este estudo indica, também, que as 13 medidas avaliadas permitiram uma poupança de 490 mil horas de trabalho na administração pública, o equivalente ao trabalho de 300 funcionários públicos.

Em face deste dados, o Governo pretende avançar com outras medidas de eliminação de “bloqueios burocráticos às actividades económicas em todas as áreas”, ao mesmo tempo que vai alargar o trabalho de avaliação de impacto a outras das medidas tomadas, de forma a aprofundar as conclusões.

Partilhar: