“É insuportável saber que perdemos alguém como tu.” Escrita pelo presidente da Câmara de Faro, Rogério Bacalhau, esta é uma  das muitas frases emocionadas que têm surgido ao longo do dia, de diversas personalidades e cidadãos anónimos, em sinal de lamento pelo falecimento de Joaquim Guerreiro, actual director delegado do Teatro Municipal de Faro.

Joaquim Guerreiro foi o criador do Festival F (que está a decorrer) e do Alameda Beer Fest, em Faro, tendo, antes disso, sido responsável, em Loulé, pelo aparecimento de grandes eventos como a Noite Branca e o Festival MED.

A sua forte ligação aos dois concelhos motivou comunicados de ambos os Municípios. O de Faro destaca o “legado de grande valor humano e profissional” que Joaquim Guerreiro deixa, enquanto que a Câmara de Loulé elogia a sua “criatividade e energia”, bem como a “dedicação e inteligência” com que desempenhou diversos cargos públicos no município. 

Joaquim Guerreiro foi chefe de gabinete de apoio do presidente da Câmara Municipal de Loulé, entre 2005 e 2009, tendo ocupado, no mandato de 2009 a 2013, as funções de vereador com os pelouros da Cultura, Eventos e Turismo, entre outros.

Nestas autárquicas era para ser o candidato do PSD à presidência da Câmara de Loulé, tendo, para o efeito, sido eleito por unanimidade, em Assembleia de Militantes daquele partido. O seu nome foi, inclusivamente, em Fevereiro, anunciado publicamente como candidato, mas acabaria por desistir da corrida devido aos efeitos que já se faziam sentir da doença que acabou por levar ao seu falecimento, ocorrido na madrugada deste Sábado, no Hospital de Loulé. Joaquim Guerreiro tinha 49 anos de idade.

O seu funeral realiza-se na próxima Segunda-feira, pelas 11h30, em Querença. O corpo estará em câmara ardente amanhã, domingo, a partir das 17h00 na Igreja Matriz de Loulé.

Partilhar: