Depois de muitos contratempos e complicações, parece ter chegado ao fim o processo que impedia a construção do Crematório de Faro.

A boa nova foi anunciada pelo presidente da autarquia, Rogério Bacalhau, no decorrer de uma visita realizada esta sexta-feira, a várias obras do concelho.

O autarca disse que a Câmara que dirige decidiu adjudicar a concessão, construção e exploração do Crematório às empresas Servilusa – Agências Funerárias SA e FPC Construções Lda, após o Tribunal Central Administrativo do Sul ter dado por encerrado o diferendo que opunha os diversos concorrentes ao procedimento lançado no Verão de 2016.

Com o trânsito da decisão em julgado, fica, assim, resolvido um  imbróglio que se arrastava desde 2012, ano em que se abriu pela primeira vez concurso semelhante. O equipamento, que compreende forno crematório e todas as valências conexas, ficará localizado no Cemitério Novo de Faro.

Rogério Bacalhau referiu, durante uma visita a diversas obras no concelho, que o Cemitério da Esperança se encontra lotado e que o Cemitério Novo, apesar dos procedimentos que permitiram à edilidade adjudicar a construção de cerca de 500 novos gavetões (176 já concluídos), também está quase lotado.

Partilhar: