Os estabelecimentos comerciais situados na Avenida 5 de Outubro, na zona ribeirinha de Olhão, ficam isentos do pagamento de taxas de ocupação de espaço público até que termine as obra de requalificação que aí decorrem fiquem concluídas.

Esta decisão, que resultou de uma proposta do executivo camarário, foi aprovada por unanimidade pela Assembleia Municipal de Olhão. Trata-se de uma medida que tem como objetivo ajudar a minorar as dificuldades de quem ali exerce a sua atividade económica.

Em comunicado, a Câmara de Olhão refere que “numa altura em que existe, naquela avenida, mobilidade reduzida e outros contrangimentos inerentes às obras que ali estão a ser realizadas, o executivo municipal entende que até ao final das mesmas, previsto para final de maio, os comerciantes não devem ter a seu cargo essa despesa”.

O presidente da Câmara Municipal de Olhão, António Miguel Pina, diz que uma vez concluída a obra, “todos beneficiarão do novo espaço de lazer e fruição desta zona nobre da cidade”. Até que isso aconteça admite que continuarão a existir os “constrangimentos inerentes às obras que causam sempre desconforto”.

Recorde-se que, no início do ano, a ACRAL tinha lançado um comunicado no qual criticava a lentidão das obras, que estão a causar grandes prejuízos a quem ali tem negócios.

Na ocasião, o presidente daquela associação, Álvaro Viegas, lançou um repto à Câmara para que insista junto dos responsáveis da empreitada para que a mesma avance rapidamente e, ao mesmo tempo, para que “sejam tomadas as medidas possíveis no sentido de mitigar os constrangimentos de circulação e estacionamento, bem como os prejuízos dos comerciantes locais”.

Partilhar: