Em Castro Marim decorre até este domingo, 1 de setembro, a XXII edição dos Dias Medievais. Por estes dias, aquela localidade transforma-se numa vila encantada, mas recriando, com rigor, os usos, costumes e vivências do passado medieval.

O Castelo e a Vila transformam-se no cenário ideal para receber reis e rainhas, cavaleiros de armaduras reluzentes, bobos e jograis, comerciantes, monges, damas e nobres, mas também as contradições de uma época simultaneamente bárbara e culta, palco de acontecimentos e decisões que ficaram na história e de produções culturais e artísticas.

Os torneios a cavalo, os teatros de rua, os muitos grupos de animação “passa calles”, com malabaristas, zaragateiros, cuspidores de fogo, gaiteiros, equilibristas, espadachins e contorcionistas, a música medieval, a música e dança árabe-oriental, a música sacra, as danças medievais, a exposição de Instrumentos de Tortura e Punição, o mercado medieval e os banquetes, são algumas das principais atrações e trazem com elas toda a magia desta época tão fascinante.

Os Dias Medievais em Castro Marim têm por palco principal o Castelo, que é o cenário mais leal possível à Idade Média. É aqui que acontecem as maiores recriações, como as de artes e ofícios, onde estão representadas mais de 45 profissões, e os grandes espetáculos, como os torneios medievais a cavalo. É também o Castelo, no Paiol, que acolhe a renovada exposição de Instrumentos de Tortura e Punição (cofinanciada pelo Interreg V-A, apoiada pela União Europeia, cofinanciada a 75% pelo FEDER, projeto FOURTOURS), mostrando-nos uma das razões pela qual a Idade Média é considerada como a Idade das Trevas.

Pelo banquete, outra das grandes atrações deste evento, passam todos os grupos de animação do evento. À semelhança do que acontecia na Idade Média, à luz misteriosa das tochas, os comensais experimentam as melhores iguarias da época, enquanto desfrutam dos espetáculos de animação. Uma experiência inovadora e diferenciada do restante banquete também pode ser adquirida nesta edição, “Seja Rei por uma Noite”, uma mesa real que reúne 10 convivas, com a pompa e circunstância das cortes da Idade Média.

Todas as classes que estruturavam o quotidiano da Idade Média vão estar representadas, clero, nobreza, burguesia e povo, e nas mesmas ruas e ruelas daremos de caras com as criaturas mitológicas, os monstros, as criaturas demoníacas e mágicas, que explicavam tudo o que ainda era vago e impreciso.

O Forte de S. Sebastião, outro dos palcos deste evento, albergará a Guarnição Militar, uma recriação histórica onde poderá ver várias exposições temáticas, exibições de falcoaria, treino de escudeiros, torneios e artes como a de cavalgar, esgrima e arco longo.

Mantendo o rigor, este ano foram reforçadas algumas questões de segurança, de saúde e questões ambientais, um trabalho que pretende elevar os Dias Medievais em Castro Marim a Eco Evento. Este ano, o objetivo passa por conseguir uma redução drástica de resíduos e uma reutilização máxima dos bens e cenários de cada edição. Vão ser utilizados os copos em barro, como desde quase a génese dos Medievais, e há uma efetiva redução de gasto em papel na produção de todos os materiais gráficos.

Por ser uma época transversal a uma série de culturas, consolida-se este ano a ligação histórica do café ao período medieval, estando agora presente em todo o evento, numa parceria mais estreita com a “Delta Cafés”.

As bilheteiras dos Dias Medievais em Castro Marim abrem pelas 15h00, enquanto as atividades e animação do evento arrancam às 17h00 e encerram às 00h00. Durante o evento, organizado pela Câmara Municipal de Castro Marim, o Gabinete de Apoio ao Munícipe (GAM) funcionará como posto de informações e de apoio.

Partilhar: