A Câmara de Portimão iniciou o processo que vai levar à venda de um terreno situado na zona do Barranco do Rodrigo, onde se pretendia construir um Complexo Desportivo.

A presidente da autarquia, Isilda Gomes, garantiu, no decorrer da última sessão da Assembleia Municipal, que está a ser preparado o respectivo caderno de encargos, avançando, de seguida, o concurso público.

A equipa do seu antecessor, Manuel da Luz, queria que os cerca de 40 hectares do terreno fossem ocupados por um Pavilhão Multiusos, um Estádio Municipal de Futebol, um Complexo de Piscinas, uma grande superfície comercial, tudo isto complementado por uma vertente residencial e uma zona verde.

O projecto foi apresentado e entregue, através de concurso, ao grupo Lena, mas nunca saiu do papel. Em vez de obras no terreno, a empresa acabou por avançar para tribunal, pedindo uma indemnização de 5 milhões de euros à autarquia.

De acordo com a informação prestada aos deputados municipais por Isilda Gomes, o argumento é que lhe tinha sido garantido pela Câmara que não seria autorizada mais nenhuma grande superfície, o que não foi cumprido. A actual presidente do executivo garante que não há qualquer compromisso escrito nesse sentido, pelo que está convicta de que não vai ter de pagar os 5 milhões pedidos.

Nesta altura, a autarca diz que o projecto já não faz sentido, pelo que pretende desfazer-se de um terreno que irá seguramente render muitos milhões de euros à Câmara. Isilda Gomes não revela quanto é que espera arrecadar, mas mostra-se convicta de que  será “uma verba muito significativa, até porque estamos a falar de um dos melhores e maiores terrenos que existem para construção em Portimão”.

Partilhar: