O presidente da Câmara de Loulé, Vítor Aleixo, apresentou esta quinta-feira um balanço do trabalho que tem sido realizado e o que se projeta para o Concelho nos próximos anos, no decorrer da sessão comemorativa do Dia do Município. Este ano “o equilíbrio orçamental e a sustentabilidade financeira” estiveram em destaque no discurso do autarca.

O autarca garantiu que “atingimos o valor de dívida orçamental mais baixo dos últimos 8 anos, reduzindo-se de cerca de 95 milhões de euros para os atuais 25 milhões de euros (menos 74% desde 2011)”.

O equilíbrio das finanças municipais torna possível pensar e projetar o desenvolvimento do Concelho, em especial, no interior. “Implementámos uma minoração de 30% (máximo permitido por Lei) na taxa mínima do IMI para as freguesias mais desertificadas e, mais recentemente, em 2019, diminuímos em 80% do valor das taxas a cobrar sobre a atividade económica em geral, ou seja, sobre a ocupação da via pública nessas mesmas freguesias”, referiu Vítor Aleixo.

Também no que respeita ao desenvolvimento concelhio por via do apoio às famílias, Vítor Aleixo anunciou que está para breve a apresentação da Estratégia Local de Habitação 2019/2030, matéria já aprovada em reunião camarária, e cujas políticas pretendem “promover o acesso à habitação para todos, permitindo criar soluções sustentáveis de habitação”. Relativamente àquele que é um dos maiores problemas atuais nos centros urbanos em todo o país, o edil explicou que a Autarquia está aqui a assumir “o papel central que é conferido aos municípios no contexto da Nova Geração de Políticas de Habitação, lançada recentemente pelo Governo”.

A requalificação da Escola EB 2,3 D. Dinis em Quarteira, os pavilhões multiusos em Quarteira e Almancil, os equipamentos que irão nascer no âmbito do protocolo com a Autoridade Marítima Nacional, o projeto ABC – Loulé Active Life, Health and Research, foram, entre outros, os empreendimentos autárquicos destacados pelo presidente da Câmara.

 

Partilhar: