No decorrer da cerimónia comemorativa do 10º aniversário do Mestrado Integrado em Medicina da Universidade do Algarve e da homenagem aos primeiros médicos especialistas diplomados por esta instituição, que decorreu este sábado no Cine-Teatro Louletano, foi apresentado ao público o projeto ABC Loulé Active Life.

Este momento contou com a presença de dois representantes governamentais: Manuel Heitor, Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, e Raquel Duarte, Secretária de Estado da Saúde.

Depois da celebração de um protocolo em 2018 entre a Autarquia de Loulé e o Centro Académico de Investigação e Formação Biomédica do Algarve – ABC (Algarve Biomedical Center), consórcio que reúne o Centro Hospitalar Universitário do Algarve e a Universidade do Algarve, irá avançar já este ano a criação do ABC Loulé Active Life Health & Research, um projeto inovador, com um investimento na ordem dos 16 milhões de euros que será complementado com financiamento dos fundos europeus.

Como explicou Vítor Aleixo, este é um projeto realizado em ”prol da ciência e com o intuito de resolver várias lacunas existentes há décadas nesta região, relacionadas com a investigação, proporcionar os melhores cuidados de saúde daqueles que aqui residem, e dos milhares de turistas que nos visitam todos os anos e esperam encontrar no Algarve a garantia de segurança e qualidade a todos os níveis durante a sua férias”.

O ABC – Loulé Active Life Health & Research contempla a conceção e construção de dois edifícios, localizados estrategicamente no Concelho de Loulé: o ABC Loulé Health Research Center, em Loulé, e o ABC Loulé Active Life, em Vilamoura.

O ABC Loulé Active Life Health & Research encerra diversas componentes e objetivos, utilizando tecnologia de ponta, numa estratégia de competitividade regional e nacional, como explicou Nuno Marques, presidente da comissão executiva do ABC.

Por outro lado, visa também a descentralização de serviços de instituições de carácter nacional da área da saúde para o Algarve (INSA, INFARMED, IPST e SPMS), dos quais se destacam a criação de um Centro de Investigação de Entomologia Médica do Algarve (em colaboração com o INSA) que visa a investigação de doenças tão importantes como a malária, dengue ou zica que são transmitidas por mosquitos, o Banco Público Nacional de Células do Cordão Umbilical e a Seroteca Nacional em articulação com o IPST.

Também contará com um Centro Active Life, que colocará cuidados de excelência de reabilitação ósteo-articular, muscular, cardíaca e respiratória ao dispor da população do município e do Algarve, para além de ser um projeto vocacionado para o turismo de saúde de alta qualidade que impulsionará a economia e combaterá a sazonalidade.

São ainda objetivos da Câmara de Loulé, promover, por esta via, a captação e fixação de recursos humanos na área da saúde no Algarve. Este projeto, garante a autarquia, em comunicado, ” levará à criação de mais de 150 postos de trabalho diretos e altamente diferenciados em Loulé, com grande benefício direto e indireto da população”.

Para a Secretária de Estado da Saúde, Raquel Duarte, “este projeto é estruturante e terá um grande impacto no desenvolvimento regional e nacional na área da inovação, investigação, formação e na melhoria dos cuidados de saúde”.

Por seu turno, Manuel Heitor, Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, falou da “reprogramação de fundos comunitários” orientados para a competitividade e coesão territorial. “O nosso processo de convergência da média europeia só pode ser feito com mais conhecimento”, frisou este responsável

“A ambição do Centro Académico Clínico abrir novas valências em Loulé mostra bem a relevância e a presença daquilo que pode ser uma articulação adequada entre as atividades de educação, de investigação e de inovação, certamente num contexto autárquico que favoreça e facilite o estabelecimento destas liações”, afirmou ainda Manuel Heitor relativamente a este projeto que será uma referência na área da investigação nos próximos anos.

Partilhar: