O Município de Lagos coloca no plano de atividades e orçamento para 2019 a Habitação como grande prioridade. A renovação das infraestruturas, designadamente das condutas de água e dos coletores de saneamento com mais de 40 anos de existência, é outra das vertentes em que serão aplicadas as verbas municipais.

A continuidade de projetos financiados no âmbito do CRESC Algarve 2020, como sejam a obra de renovação e ampliação do Museu Municipal Dr. José Formosinho e a 2.ª fase da Valorização da Ponta da Piedade, têm igualmente um lugar de destaque neste instrumento de planeamento da atividade municipal.

O documento, que foi recentemente aprovado em reunião do executivo e que agora vai ser analisado e votado na Assembleia Municipal, integra um orçamento previsto ligeiramente superior a 58 milhões de euros (58.667.312,00€) e está estruturado em torno de quatro eixos estratégicos.

Um deles intitula-se “Lagos mais solidária, segura e saudável” e aí as atenções centram-se na procura de soluções para aumentar a oferta habitacional do Município, na renovação e ampliação do parque escolar (com destaque para a construção da nova Escola EB1 + JI da Luz), na modernização tecnológica dos estabelecimentos de ensino do concelho, na criação do Gabinete de Apoio ao Aluno e Família e na continuidade do processo de criação da Polícia Municipal.

O aumento da frota municipal de recolha de resíduos sólidos urbanos e reforço de equipas, a aposta na sensibilização da população, a reabilitação das estradas da Meia-Praia e da Luz, melhorando os acessos a locais emblemáticos do concelho, onde se inclui a Ponta da Piedade, cuja valorização avançará para uma segunda fase, são algumas das ações que contribuirão para tonar “Lagos mais ordenada, acessível e limpa”.

Para construir um “Lagos mais sustentável” a Câmara prevê lançar mão de estratégias múltiplas que passam pela requalificação do património cultural e natural, nomeadamente da Igreja de São Sebastião (Monumento Nacional), a conclusão das obras de requalificação do Museu Municipal e a sua ampliação, ou ainda a requalificação da Casa do Guarda na Mata de Barão de São João e a implementação do Museu Rural.

Paralelamente, serão adotadas estratégias promotoras de desenvolvimento económico ambientalmente responsável, como sejam a disponibilização de carregadores para automóveis elétricos, a implementação do Plano Municipal de Alterações Climáticas e a elaboração do Plano de Segurança de Água. No plano cultural, as GOP apontam para uma oferta eclética e de qualidade, que dará continuidade a programas já organizados com sucesso e apresentará ações novas, destacando-se, entre outras, a preparação de um programa ambicioso a integrar nas Comemorações Nacionais do 100.º Aniversário do nascimento da escritora Sophia de Mello Breyner Andresen que terão lugar nas cidades de Lisboa, Porto e Lagos.

Por fim, estão igualmente previstas ações de comunicação com os cidadãos, visando a sua mobilização e participação. O Orçamento Participativo é um dos projetos que terá continuidade e dará expressão ao eixo “Lagos mais próximo das pessoas”.

 

Partilhar: