Na sequência da cerimónia de inauguração das salas para o pré-escolar da Escola do 1.º ciclo e jardim-de-infância do Bom João (EB1/JI do Bom João), a Câmara Municipal de Faro fez ontem, dia 7, um balanço do arranque do ano letivo que, em comunicado, a autarquia garante ter sido “muito positivo, decorreu sem sobressaltos nem atrasos em todas as escolas, com todos os professores colocados, com turmas de dimensão adequada e com o fantasma dos regimes duplos definitivamente afastado.

O novo ano fica marcado pela inauguração de três novas salas do ensino pré-escolar, na EB1/JI do Bom João, com capacidade para albergar 75 crianças. A obra resultou de um investimento municipal superior a 307 mil euros e vem reforçar a oferta no ensino pré-escolar público, “dando seguimento ao esforço encetado pelo Executivo Municipal desde há alguns anos, consubstanciado na recente criação de salas na Lejana, EB1/JI de Estoi, Penha e Areal Gordo.”

Também no âmbito da preparação do ano letivo, a Câmara Municipal realizou diversas obras ao nível da manutenção do parque escolar, tendo sido concluídas intervenções de apetrechamento das cozinhas e refeitórios e a aquisição de diverso mobiliário e equipamento, num investimento a rondar os 100 mil euros

Para além disto, o Município procedeu à contratação do pessoal não docente, incorporando 13 assistentes operacionais para todas as escolas e 3 assistentes técnicos de animação – o que representa um acréscimo de 196 mil euros por ano em vencimentos e encargos.

Mas o ano 2019/2020 ficará ainda marcado pela assunção das novas competências descentralizadas pelo Ministério da Educação nas autarquias o que, no caso de Faro, implicou acolher 102 trabalhadores nos seus quadros. Assim, a municipalidade está preparada para assumir já este ano a gestão ao nível das EB 2,3 e também das escolas secundárias no que respeita a pessoal não docente, água, eletricidade, comunicações, manutenção, combustíveis, Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC’s) e outras. 

Em termos de investimento, refere-se no comunicado, “destaque ainda para os cerca de 100 mil euros a dedicar exclusivamente ao apoio a alunos carenciados do nosso concelho, para material didático – para além das refeições que são gratuitas no nosso concelho para o Escalão A e comparticipados em 50 por cento para o escalão B o que, só por si, implica um esforço financeiro do município de cerca de 352 mil euros.”

Partilhar: