Em Março, a taxa de ocupação média/quarto das unidades de alojamento algarvias foi de 54,2%, de acordo com os dados hoje divulgados pela Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA).

Em comparação com o mês homólogo de 2016, registou-se uma ligeira quebra de 1,4%, situação explicada pelo facto de, no ano passado, a Páscoa que, como se sabe, é uma das quadras fortes do turismo algarvio, ter sido festejada em Março. Em termos acumulados, ao longo do primeiro trimestre, há a contabilizar um acréscimo de 4,5% em relação a idêntico período do ano passado.

Por zonas geográficas, as maiores subidas do mês de Março deram-se em Tavira (+16,8%), Faro/Olhão (+8,5%) e Monte Gordo (+6,3%). Pela negativa salientaram-se Vilamoura/Quarteira/Quinta do Lago (-16,8%) e Albufeira (-6%).

Em termos relativos, o mercado que mais subiu foi o francês (+66,9%), seguido-se o alemão (+27,3%) e o britânico (+13,7). Em termos absolutos, a maior percentagem de dormidas foi garantida pelo mercado britânico (quase 32%), ficando o alemão na segunda posição (18%) e dos Países Baixos em terceiro (10,8%). O mercado nacional surge logo a seguir com uma ‘fatia’ de 8%. 

A estadia média por pessoa foi de 4,8 noites. Neste caso, na frente da lista aparecem os holandeses e canadianos, que, em média, ficaram nas unidades de alojamento 8,9 noites, seguidos pelos alemães (6,3) e britânicos (5,3).

Pelas contas da AHETA a facturação das unidades de alojamento baixou 1,8% em comparação com Março de 2016. 

Partilhar: