A participação no combate a um incêndio que deflagrou esta tarde no concelho de Monchique, na zona de Marmelete, saiu cara aos Bombeiros de Portimão.

Isto porque as chamas consumiram por completo um dos seu carros de combate a incêndios florestais. O presidente da Associação dos Bombeiros Voluntários de Portimão, Álvaro Bila, diz que “felizmente, e isso é o mais importante, não houve qualquer tipo de consequências no que aos bombeiros diz respeito”, mas, em termos financeiros, este é um grande rombo, uma vez que uma nova viatura “custa cerca de 160 mil euros”.

O azar, a este nível, foi ainda maior por dos três carros que a corporação possui, ter sido o mais novo, que tinha sido comprado há pouco mais de um ano, a arder.

Isto coloca também problemas operacionais aos Bombeiros de Portimão, que ficam algo limitados, caso a época de incêndio se revele complicada, uma vez que passam a ter à sua disposição apenas duas viaturas de combate às chamas, sendo que, pelo menos, uma delas já tem muitos anos e muitas ‘batalhas’ em cima.

Este incêndio foi detectado pouco depois das 15H30 desta Segunda-feira, 12 de Junho, e exigiu um envolvimento muito grande de meios humanos e de viaturas para lhe fazer face. Ao longo do dia, chegaram a ser mobilizados mais de 130 operacionais para darem luta às chamas, apoiados por 46 viaturas e dois helicópteros.

O seu labor foi recompensado e, pelas 22H40, o site oficial da Protecção Civil indicava que já se tinha entrado na fase de conclusão, mantendo-se, no entanto, no local 106 bombeiros para levarem a cabo as necessárias operações de rescaldo e vigilância.

Partilhar: