Os bancos estão, este ano, a fazer mais empréstimos para a compra de habitação. Segundo dados agora divulgados pelo Banco de Portugal, ao longo do primeiro semestre, os empréstimos para este fim totalizaram 3.822 milhões de euros, valor bastante superior ao do período homólogo (2.699 milhões de euros).

No que diz respeito ao crédito ao consumo, os empréstimos feitos ao longo deste período ascenderam a 1.990 milhões de euros, o valor mais elevado desde 2008.

Mas se os bancos andam a emprestar mais aos particulares, já no que diz respeito às empresas a tendência vai em sentido contrário. O volume de novos empréstimos concedidos de Janeiro a Junho foi de 13.927 milhões de euros, montante inferior aos 15.450 milhões de euros registados no mesmo período do ano anterior.

As taxas de juro aplicadas aos novos empréstimos feitos, tanto às empresas como aos particulares, baixaram em Junho. No primeiro caso, em média, fixou-se nos 2,6%, o que representa uma redução de 14 pontos base face a Maio, constituindo um novo mínimo histórico.

Quanto aos empréstimos a particulares, a taxa média foi de 3,42%, sendo que se fixou em 1,69% no crédito à habitação,  em 7,28% no crédito ao consumo e em 3,37% no crédito para outros fins.

Partilhar: