As associações empresariais algarvias ACRAL, AHETA, AIHSA, CEAL e NERA manifestam “de forma inequívoca” o seu apoio à recente tomada de posição da Associação de Municípios do Algarve (AMAL). Em comunicado, reafirmam a “unânime e frontal oposição dos municípios ao prolongamento por mais um ano da licença para a pesquisa de petróleo ao largo da Costa Vicentina”.

Acrescentam que se trata de “uma decisão incompreensível e incoerente e, sobretudo, uma decisão que fazendo perdurar no tempo um lamentável processo iniciado nas costas dos algarvios… redobra a nossa responsabilidade como defensores do interesse regional”. Trata-se, no fundo, de “uma manobra dilatória inaceitável”.

Estas associações lembram ter manifestado” desde o primeiro momento, com clareza e frontalidade, a sua total oposição à prospecção e exploração de hidrocarbonetos no Algarve – em terra e no litoral. Por razões ambientais e por razões económicas sobretudo pelo que o Turismo representa na economia da região e do país”.

A ACRAL, a AHETA, a AIHSA, a CEAL e o NERA dizem não poder deixar de “lamentar as posições ambíguas e incoerentes e a falta de frontalidade do governo para resolver definitivamente esta situação, prosseguindo uma política de ambiguidades que gera incertezas nas populações e prejudica o futuro da Região”.

Estas associações, “ao lado da AMAL e de todos os cidadãos da Região, apontam para a responsabilidade do governo e afirmam que não aceitarão ser confrontados com factos consumados, consequência do arrastamento dilatório das situações”.

 

Partilhar: