“O Alojamento local para nós não é um problema mas uma oportunidade”, defendeu o presidente da Câmara de Faro, no Parlamento, no âmbito de uma audição parlamentar.

Rogério Bacalhau manifestou a opinião que esta actividade tem tido efeitos muito positivos no seu concelho. Tem, desde logo, contribuído para esbater um dos problemas existentes, que é a falta de alojamento, e dado um contributo positivo para a regeneração urbana. Ao mesmo tempo, tem criado emprego e ajudado as actividades económicas locais, nomeadamente, a restauração, a construção e o comércio.

O autarca lembrou que, no Algarve, esta é uma actividade que existe há muito tempo, mas que funcionava na ilegalidade. A legislação surgida em 2014 teve o mérito de a legalizar e fez com que a qualidade do serviço fosse melhorada, o que entende ser muito importante, sobretudo numa região turística por excelência, como é o Algarve.

Rogério Bacalhau referiu, ainda, que “não temos o problema de ter bairros ou zonas só com  alojamento local, ele tem vindo a ser constituído de forma dispersa”.

Portanto, e de uma forma geral, considerou que a lei existente tem funcionado bem, e que “os diplomas que estão, neste momento, em discussão vão trazer problemas”. Admitiu que haja alguns problemas em bairros de Lisboa, por exemplo, mas as propostas que estão em cima da mesa, na sua opinião, “podem criar um problema no país todo e não resolver esses problemas”.

A proposta que Rogério Bacalhau deixou aos deputados é que “seja dada capacidade aos municípios de intervirem consoante a especificidade de cada zona ou de cada município”, de forma a ser possível esbater ou eliminar esses problemas, sem pôr em causa a existência da actividade em todo o país.

Partilhar: