Já são mais de 80% (mais exatamente 80,9%) os agregados familiares em Portugal que têm acesso à internet em casa, mais 1,5 pontos percentuais (p.p.) do que 2018, revelou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Aquele organismo acrescenta que o acesso mais frequente nas famílias com crianças até aos 15 anos (94,5%) do que para aquelas que não têm crianças (73,2%) e que em 78,0% dos lares o acesso é realizado através de banda larga.

De acordo com o estudo agora divulgado, 76,2% da população residente dos 16 aos 74 anos utiliza a internet, sobretudo estudantes (99,6%) e pessoas que completaram o ensino secundário (96,9%) e superior (98,7%).

O acesso à internet em mobilidade (fora de casa e do local de trabalho e em equipamentos portáteis), que regista para Portugal níveis idênticos à média europeia desde 2016, mantem uma forte tendência de crescimento em 2019 (84,1%, ou seja, mais 3,2 p.p. que no ano anterior).

Também a proporção dos residentes em Portugal dos 16 aos 74 anos que referiram ter realizado comércio eletrónico aumentou em 2019 para 38,7%, ou seja, mais 2 p.p. que em 2018.

Quase metade dos utilizadores de internet limitaram a realização de atividades na internet devido a preocupações de segurança, como sejam compras, internet banking ou fornecimento de dados pessoais, e 27,6% encontraram problemas de segurança nos 12 meses anteriores à entrevista, principalmente relacionados com phishing (18,2%) e pharming (14,9%).

Partilhar: